5 Lugares Imperdíveis Para Visitar em Coimbra

“Coimbra é uma lição, de sonho e tradição”, já cantava Amália Rodrigues.

Rio Mondego e Universidade de Coimbra


Coimbra
foi habitada por romanos e árabes. D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, nasceu nesta cidade. A faculdade mais antiga do país está num dos seus pontos mais altos. A cidade é banhada pelo rio Mondego e já foi palco de uma história de amor digna de Shakespeare. Além de tudo isto, Coimbra é património da UNESCO desde 1994. Elegemos 5 sítios top que precisas de visitar nesta bela cidade. 


1. Universidade de Coimbra 

Fundada em 1290, a Universidade de Coimbra começa, inicialmente, a funcionar em Lisboa e fixa-se definitivamente em Coimbra em 1537.

Assim que entras pela Porta Férrea, podes ver o Paço das Escolas e o complexo arquitetónico que recebeu as faculdades a partir do século XVI. Antes de pertencer à universidade, o espaço foi o primeiro Paço Real de Portugal, local onde nasceram e viveram os primeiros Reis de Portugal.

Alguns pontos obrigatórios para o visitante são a Biblioteca Joanina, a Capela de São Miguel, a Torre da Universidade e o edifício principal, onde se localiza a Via Latina (longa varanda) e a Sala dos Capelos. Atenção ao horário de visitas de algumas das instalações. 

Morada: Paço das Escolas, Coimbra

Horário: Aberto 24 horas

Paço das Escolas


2. Mosteiro e Igreja de Santa Cruz

O Mosteiro, que tem entrada gratuita, fica localizado na baixa de Coimbra e foi fundado em 1131 pela Ordem de Santo Agostinho.

O edifício principal a visitar no Mosteiro é a Igreja de Santa Cruz, onde se encontra sepultado D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. Nas traseiras do Mosteiro, existe o Jardim da Manga (ou Claustro da Manga), que data do século XVI. Apesar de hoje ser independente, o jardim fez inicialmente parte do Mosteiro.

Morada:  Praça 8 de Maio, Coimbra

Horário: Segunda a Sexta-feira das 9h às 17h, Sábado das 9h às 12h30 e das 14h às 17h e Domingo das 16h às 17h30  

3. Quinta das Lágrimas

Quinta das Lágrimas localiza-se na margem esquerda do Mondego. Ocupa uma vasta área, no centro da qual se encontra um palácio do século XIX, hoje requalificado como hotel de luxo. Nos seus jardins acumulam-se memórias desde o século XIV, devidas sobretudo a uma história de amor verdadeira que deu origem a várias lendas.

Trata-se da que pode ser considerada a mais célebre história de amor portuguesa, vivida entre o príncipe D. Pedro (futuro Pedro I de Portugal) e a fidalga D. Inês de Castro, que tem sido tema de inúmeras obras de arte ao longo dos séculos.

Diz a lenda que os jardins desta quinta terão sido cenário dos encontros amorosos entre os dois amantes, testemunhando momentos de alegria e de tragédia. Na Quinta das Lágrimas se encontram a Fonte dos Amores e a Fonte das Lágrimas.

Diz-se que era na Fonte dos Amores, envolvida pelos muros do Jardim Medieval, que Inês encontrava os barquinhos de madeira com as mensagens de amor de Pedro. Mas diz-se também que foram as lágrimas de desgosto de D. Inês que originaram a chamada Fonte das Lágrimas, e que o sangue derramado nesta trágica história escorreu e ficou ali marcado até hoje, em musgos vermelhos.

Se quiseres saber mais sobre esta história de amor, clica aqui

Além desta forte impressão romântica, a beleza do local e a maravilhosa vista que permite sobre a cidade são razão mais que suficiente para uma visita obrigatória.

A visita tem um custo de 2€.

Morada:  R. José Vilarinho Raposo 1, Coimbra

Horário: Terça a Domingo das 10h às 19h

Quinta das Lágrimas


4. Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

O Jardim é do século XVIII e foi inaugurado por Marquês de Pombal. É muito agradável passear pela Alameda das Tílias, pela Estufa Grande, Estufa Fria, pelo Fontanário e pelo Recanto Tropical, com espécies diferentes de palmeiras. Tudo isto em 13 hectares.

A entrada é gratuita.

Morada: Calçada Martim de Freitas s/n, Coimbra

Horário: Todos os dias das 9h às 17h30 

Escadas do Jardim Botânico


5. Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Fundado pela primeira vez no final do século XIII (1283), por uma dama da nobreza, o Mosteiro foi refundado no século XIV (1314), por Isabel de Aragão – a rainha Santa Isabel –  que, após enviuvar do rei D. Dinis, manifestou o desejo de ali ser sepultada.  

As ruínas de Santa Clara-a-Velha de Coimbra compreendem, para além da magnífica igreja com características muito peculiares, um claustro com dimensões monumentais, que o tornam no maior claustro gótico conhecido em Portugal.

Junto à cerca, a Rainha Isabel de Aragão mandou construir um Paço onde viveu. Foi também aqui que D. Inês de Castro foi assassinada a mando de D. Afonso IV.

A proximidade do rio foi um dos fatores para a edificação neste local. Contudo, essa proximidade marcou a história do Mosteiro desde o seu início até aos dias de hoje. Se, por um lado, a presença da água era importante para a vida do dia a dia, por outro, as cheias cíclicas do Mondego tornaram impossível a permanência ali, obrigando à transferência definitiva da comunidade monástica, em 1677, para um novo convento (Mosteiro de Santa Clara-a-Nova), no Monte da Esperança.

A entrada no mosteiro custa 4€.

Morada: Rua das Parreiras, Coimbra,

Horário: Terça a Domingo das 9h às 19h

Agora é sair e andar pelas ruas de Coimbra, a descobrir estes sítios e outros que a cidade guarda. Não te esqueças de identificar a @inlifeportugal quando seguires as nossas dicas 😉. 


Estás à procura de alojamento para estudantes em Coimbra? Fala connosco! Temos quartos e apartamentos de estudantes para arrendar em Coimbra! Reserva a tua casa online na nossa plataforma de casas para estudantes.

Share this article
Back to blog